Conferencia Mumbai 2008 – 3. dia

Ola amigos e leitores das folhas. Os dias tem sido intensos e absolutamente sem tempo ou oportunidade para conectar-me. Agora, chegando de um dia inteiro subindo e descendo montanhas e visitando cavernas buddhistas do primeiro seculo a.C., encontramos, apesar do cansaco, um pequeno cybercafe e eu, um professor ingles e um thailandes estamos aqui rapidamente antes da janta. Ao inves de falar sobre o dia, aproveito para dar a atualizacao referente ao 3. dia da conferencia, que ocorreu dia 12 de janeiro.

A manhã comecou com um painel, que durou toda a manhã, sobre o Paradigma Buddhista para a Paz e Harmonia no Mundo. Participaram do painel, entre outros, Karunadasa, Kalupahana, Bhikkhuni Dhammananda, Dr. Pathak, Ven. Dhammavihari, Rev. Heng Sure, Mettanando e varios outros. Foi um painel bastante positivo e interessante.

De tarde tivemos duas sessoes, como ontem, mas infelizmente soh deu para participar de uma pois foi minha vez de fazer uma apresentacao. Em minha sessao estiveram tambem os profs. Gokhale que falou sobre as formas de argumentacao Madhyamika; Byambanorov, sobre a revitalizacao do Buddhismo na Mongolia; Agocs sobre a universidade buddhista que estah sendo criada na Hungria e Prasad do Dep de filosofia de Delhi sobre a busca buddhista da unidade na diversidade. Eu, como havia jah mencionado, falei sobre “Desafios na Educacao Buddhista” numa apresentacao multimidia. Varios alunos do departamento de filosofia e do de pali, os quais assistiram minhas palestras anteriores, apareceram para assistir esta tambem.

O dia foi bem fechado com uma palestra da bhikkhuni Dhammananda, uma de Mettanando – ambas excelentes e versando sobre o Buddhismo na Thailandia – e cancoes buddhistas de Bengala, na belissima voz de uma cantora e seu grupo de musicos. Realmente muito bonito, parte das pesquisas dela nas cancoes buddhistas antigas do seculo 8 compostas por Siddhacariyas. Tenho certeza que todos apreciarao quando eu fizer uma apresentacao delas ai no Brasil.

E alguem descobriu que sou brasileiro e me pediu um artigo para figurar na edicao de janeiro da revista da faculdade, artigo sobre Brasil, Buddhismo e India a ser entregue amanha. Sem problemas, pois jah tenho varias coisas escritas. Alias, dia 16 marcaram para mim um encontro com o consul do Brasil em Mumbai que ficou surpreso e contente por saber que um brasileiro estava por aqui numa conferencia do porte desta. Como em vezes anteriores, antes mesmo de visitar uma livraria, jah estou com a mala cheia e pesada com os livros que ganho. Alias, aproveitaram a conferencia para lancar dois grandes volumes, um sobre originacao co-dependente e outro sobre Dharma e Abhidharma.

Assim que puder coloco o quarto dia da conferencia. Amanha serah outro dia exaustivo com mais dois grandes conjuntos de cavernas, Bhaje e Kondane (hoje foram Bedse e Karle). Varias fotos belissimas e algumas colocarei online no futuro. Agora devo ir para a dura tarefa de comer idlis, chapatis, papads, sambar, chutneys, gulab jamuns, etc. com os coleguinhas, seguida de uma boa noite de sono. Ontem chegamos no hotel 1h30 da manha e acordamos as 6h30…

6 thoughts on “Conferencia Mumbai 2008 – 3. dia

  1. Que vida dura,hein?

    Parabéns professor, como sempre o único representante brasileiro!

    Abraços,

    Marcelo

  2. Caro Professor,

    Que bacana que deve ser poder ver cavernas e mais cavernas, e assistir apresentação de canções antigas buddhistas! E quanto às comidinhas, vou apreciando os lindos nomes. Bom proveito!
    Um abraço
    Aparecida

  3. Ola Ricardo somente hoje tive a oportunidade de colocar em dia as leituras das folhas…., impressionante sua viagem, parece mais corrida que no ano anterior.
    Voce deve estar com a mala cheia de novidades (livros) e com a mente repleta de informações para municiar seus pupilos por aqui.
    Aguardo seu retorno, e uma visita a São Paulo, quem sabe no WS de Abril.

    ~Metta,

    Celso Carrera

  4. Realmente da vontade de ter acesso a essas abordagens, parabéns Ricardo pela exposição em multimidea, to vendo que o que não falta aí é caverna para meditar trunquilo

    abçs

    Alf

Os comentários estão fechados.