de Gaia a Braga

Notícias da Pátchima…

Sexta. Chegamos em Portugal e fomos direto para o retiro. Agora que tenho a oportunidade de conviver e ouvir mais de 02 pessoas falando português….. retiro de silêncio!!!!! Tudo bem. O retiro transcorre tranquilo.Estamos numa casa de retiros de freiras católicas. As acomodações são excelentes e as refeições deliciosas.

Tem uma laranja aqui gente que é o seguinte!!!! Entre um intervalo e outro, quando estou no quarto, observo pela janela a vida lá fora. Há um café e um banca de frutas e verduras. Os dois locais são bem frequentados pelos moradores da redondeza. Quem sabe eu consiga tomar um café português num lugar destes! Faz frio aqui, mas bem menos que Birmingham. Aqui já fez sol, ventou, nublou, choveu… O que sei do mundo lá fora é o que vejo pela janela. No mais, os praticantes portugueses e a praticante brasileira seguem as instruções dadas pelo prof.. Vamos respirando com atenção enquanto o tempo passa.

Domingo.

Final do retiro. Houve pequena confraternização com bolo e chá. Tivemos oportunidade de conversar um pouquinho. Os portugueses são muito simpáticos e cerimoniosos no trato com as pessoas. Houve troca de emails e fotos do grupo! Estávamos em 13 pessoas. Prof. seguiu para Braga onde ficou hospedado. Eu segui para Porto com a Fátima C., minha xará. Fátima me levou já de cara para uma volta de reconhecimento da cidade! Amigos, fiquei muito maravilhada com tudo o que vi e olhem que o tempo estava fechado e um pouco chuvoso. Tudo aquilo com sol dever ser fantástico! As pessoas que vivem aqui são privilegiadas e não devem fazer idéia disso. Porto é uma cidade que tem parte alta e baixa. Há dois rios enormes, o Douro e o Leça que serpenteiam a cidade e os obrigou a construir gigantescas pontes. Lindas. Elas dão um charme todo especial ao lugar. Não bastasse o rio, eles tem o mar!!!

Também passeamos pela orla. Faróis, castelos, marinas, fortes, passeios ao longo da orla com belas árvores, um conjunto de estátuas muito lindas, apesar de estamparem a dor, representando as peixeiras que perdem seus companheiros. E praias né!!!!! A cidade tem lugares que levam nomes como “passeio das virtudes”, “campo alegre”, etc. Que acham? Pode ser ruim um lugar assim? Meus olhos não dão conta de assimilar todas as imagens que vão pipocando. Não bastasse o mar, Porto tem um parte histórica com casarios de época, igrejas tantas que parecem estar uma ao lado da outra, ruelas por onde duvidei passar algum automóvel. É belíssima! Só vendo! Tem-se uma visão fantástica desta parte antiga indo para Gaia (do outro lado do rio).

Circulando pela cidade a Fátima me mostrou quintas enormes (casas antigas que ocupavam imensos terrenos). Uma dessas quintas hoje em dia dá lugar ao Jardim Botânico da cidade. Essa foi a voltinha que ela disse que iriamos dar….. Amanha o dia promete! Esperamos que o sol apareça! A hospitalidade e generosidade da portuguesa deixa a brasileira emocionada. Só tenho a agradecer.

&&&

Pois… enquanto a “Pátchima” está lá no Porto, cá estou eu em Braga, ainda mais ao norte, desfrutando da hospitalidade da Cris. O retiro foi muito tranquilo, ótimo encontrar velhos conhecidos e alguns novos praticantes. Todos, como é costumeiro aqui, muito amáveis. Muito legal, ou melhor, muito gira e fixe! Do retiro fomos diretos passear em Braga…

Seu centro histórico é muito bonito, eis acima o portal que, sempre aberto, convida todos a entrarem.

Muitas flores por todos os cantos, misturadas a igrejas e construçoes antigas…

Linda praça!


Essa daí em cima foi tirada em homenagem a Malu!


Claro, não poderia deixar de ter um bacalhau para o jantar, a moda da casa, frito, com cebolas, batata frita em rodelas, azeitonas e muito azeite!! Já estava esperando por esse bacalhau há meses!! Na foto não dá pra ver, mas tem imensos pedaços de bacalhau por baixo das batatas 🙂

Aqui uma daquelas fotos que se tira quando o sol está na posiçao certinha…

2 thoughts on “de Gaia a Braga

  1. Malu, vc tem um café em portugal e nem nos conta nada rs, aqui em Sampa tb o frio ta começando e da para sentir melhor a respiração mais profunda e humida, imagino aí com todas essas flores Abçs

Os comentários estão fechados.