Pátchima no Oriente 5

Novo dia em Bangkok. Mesmo calor! Mais uma agradavel caminhada ate o nosso cafe da manha. Ja sei que em determinados lugares vou encontrar certas figuras. A mulher italiana sentada numa especie de panificadora, na mesma mesa, mesma posicao, que fala, fala, com um homem barbudo que come. A senhora das bananas que ficam assando numa maquina, espalhando delicia no ar. A moca do suco de tangerina que a Isabel tanto gosta.

***

Achei um computador aqui na maravilhosa Universidade Mahachulalongkorrajavidyalaya !!!!!!!!! Vai entao o que aconteceu no domingo. Dia de mudancas. Entrada no Hotel da Conferencia a tarde! Pela manha seguimos nosso ritual tranquilo ate o “pequeno almoco”. Caminhada com conversa sobre a mudanca que o dia vai exigir. Manha queante so pra variar. Ruas vazias, menos carros, menos barulho. A sensacao é um pouco de partida. Um desejo de aproveitar um pouco mais dessas paisagem ja conhecida e tao agradavel.

A refeicao da manha é algo muito esperado por mim. Estar com meus companheiros, caminhar, conversar, rir, comer e apreciar o lugar. Decidimos tomar rumos diferentes hoje. Isabel me levará para um passeio de barco no Chao Phraya (rio que atravessa Bangkok). Bangkok tem um sistema de transporte pelo rio que é muito legal. O rio está cheio de pontos de parada em ambas as margens. Ha 4 linhas (branca, amarela, laranja e azul) com paradas diferenciadas. Vc escolhe a linha conforme o lugar onde quer parar. Tudo e muito bem sinalizado e orientado atraves de mapas.

Entramos na linha laranja pois a ideia e chegar no Wat Arun (Templo da Madrugada). Uma delicia de passeio. Fomos admirando a paisagem. E como se aqui fosse as costas da cidade. Uma brisa gostosa que vem do rio em meio ao calorao e nos duas observando a vida que pulsa a beira do rio. Descemos na parada 13, tomamos um pequeno ferry boat e fomos para a margem contraria. Já de longe a gente ve o Wat Arun.

Gente! Que coisa maravilhosa! É monumental! Do ferry boat mais 20 passos e estamos diante do Wat. Voces tem que vir aqui! Nao sei se consigo descrever. É um monumento como as stupas. Muito grande. Tem 86 metros. Li que é um monumento que representa o Monte Neru, a casa dos deuses. E a medida que a gente vai se aproximando os detalhes vao saltando diante dos olhos. Belissimo gente! As paredes dele tem porcelana partida colorida em forma de flores! Todo ele! Nas grandes bases estao esculpidas dancarinas divinas. A arquitetura recebeu influencia kmer. Magnifico! É possivel subir ate certa altura. As escadas sao pra lá de ingremes. Gracas que tem corrimao e pra descer, se a gente tem vertigem, o negocio é descer sentada. A vista em cima é sensacional. Agradeci muito a Isabel por ter me proporcionado esta visita.

Na saida, convenci a Isabel a tirarmos fotos vestidas de dancarinas divinas!!!!!!!!!! Foi a maior diversao!!!!!!!! Rimos a beça!!!!!!!!!!!! Se o prof. liberar a foto, voces vao ver no que nos transformamos!!!!!

Atrasadas, corremos para pegar o barco e voltar para o check out na guest house. Almocamos na guest house e partimos para o check in no hotel. Vai levar um ou dois dias sair do choque! De uma guest house simples para um hotel com estrelas! Chegada no hotel com todas as mordomias. Gente para carregar mala, gente para indicar o caminho, gente trazendo copo de agua, gente super simpatica fazendo nossa inscricao!!! Nestes hoteis estrelados as pessoas agem a partir da ideia de que somos “alguem”! Prof. já na entrada encontrou conhecidos seus.

Muita gente chegando como nós. Monges com mantos de todas as cores. Isabel e eu, paradas ali olhando o movimento elegemos as monjas da birmania como as de manto mais bonito !!! (coisa de quem nao tem nada pra fazer). O manto delas é rosa, açafrao e laranja forte. Lindas de olhar. Sao pequenas e delicadas.

Vou deixar os comentários sérios sobre a Conferencia com o Prof. Por aqui voces só terao impressoes de uma observadora nao qualificada. Tudo será novidade para mim. O que posso dizer sobre o final deste dia é que a delegacao feminina de Portugal e Brasil está muuuuuuuuuito bem instalada. Jantamos num salao muito lindo com mesas e cadeiras vestidas de branco. Muita luz e pessoas das mais variadas origens. Muitas linguas, mantos coloridos e cores de peles variadas. (As pessoas falam comigo e dou conta de entender o que falam mas nao consigo responder….Isabel sempre me salva)

Amanha levantamos as 05h !!!!! E nem é retiro!!!!!!! As 06h30 partimos para o local onde acontecerá a abertura da Conferencia, com personalidades do mundo budista e também a Princesa da Thailandia. Vamos lá!!!!!!!!!!!!

2 thoughts on “Pátchima no Oriente 5

  1. As vezes fico pensando, e quanto de compaixão há nessas esculturas e culturas de um país budista, nas palavras da Patima vemos as belezas do oriente

    abçs e obrigado pelas folhas

  2. É…

    Mas essa observadora não qualificada descreve tão bem que me pus a mergulhar nesses lugares…

    Abraços,
    Daniel

Os comentários estão fechados.