Pátchima no Oriente 6

Amigos, ai vao algumas impressoes sobre a conferencia:

1. Dia – Tudo muito organizado! Delegacoes de varios paises e vestidos a caráter! Neste primeiro dia como eu sou observadora nao pude entrar no plenario. Fiquei numa sala junto com observadores do mundo inteiro. O dia foi todo reservado para as delegacoes, sejam religiosas ou politicas, apresentarem as boas vindas.


2. Dia – Dia cheio. A universidade budista é muito bonita e moderna. As instalacoes muito boas, auditórios com infra estrutura para bem receber palestrantes e grande numero de pessoas. Almoco e jantar fora de série. Nos andares onde aconteciam as palestras haviam salas com exposicoes variadas. Numa delas acontecia apresentacao de musica thai tradicional. Isabel e eu devemos ter cara de arroz de festa! Um senhor que parecia ser o mestre de cerimonia nos convidou a dançar. Preciso dizer alguma coisa???? Todos os monges a tirar fotos, camera de televisao, um bando de gente olhando na porta. Para quem se vestiu de dançarina e tirou foto na frente do Wat Arun….dançar é mole, mole!!!!!


Ouvimos muitas palestras e discussoes sobre temas pra lá de interessantes: crise economica e budismo; paz e budismo; resolucao de conflitos e budismo. Durante todo o dia a calorosa recepcao do pessoal da universidade. Sao simpatississimos!!! Houve situacao em que pensava perguntar algo e já tinha alguem oferecendo ajuda. Para qualquer coisa em qualquer lugar fomos tratados de maneira extremamente amavel.

Todos, mas todos mesmo, preocupados em atender as nossas necessidas ou advinha-las. Achei coisa do outro mundo (e nao é que estou nele!). Apos o encerramento das palestras a universidade ofereceu um show artistico com dancas tradicionais da Thailandia, Malasia e Sri Lanka. Fantastico! Enquanto esperavamos fomos servidos com refrescos de agua de coco e frutas! Voces nao fazem ideia de como sao atenciosos! Se eu contar cada situacao onde vi e vivi essa atencao, fico o tempo todo escrevendo sobre isso. Fiquei muito impressionada.


3. Dia – Manha intensa. Isabel, Prof. e eu tomamos cafe da manha com Ricardo Toledo da Argentina, Kerstin da Alemanha e Hitomi do Japao. Mesa internacional! Seguimos para o predio das Nacoes Unidas. Ihhhh…hoje é dia de lagrimas pelo jeito. Alegria por todas as coisas boas, por todas as pessoas que conheci, por tudo o que aprendi, mesmo com minha limitacao na comunicacao. Nao é possivel descrever em palavras. Quem sabe pra quem viaja mais seja diferente. Para mim é como se, desde que sai do Brasil eu fosse incorporando e transformando as coisas vividas. Hoje parece que estou me dando conta disso. Olho para a Isabel e choro. Olho para o rio Chao Phraya, choro. Olho para o movimento das calçadas com todas aquelas pessoas cozinhando, andando, vendendo, choro. Passamos parte do dia no predio das Nacoes Unidas. Almoço sempre delicioso e com fartura. No intervalo para o inicio das atividades a tarde conversamos com um monge do nordeste da Thailandia. Olhando para ele eu diria que tem no maximo 22/23 anos e ele conta que é monge ha 20 anos!!!!!!! Muito simpatico e curioso, logo foi perguntando de onde éramos, como nos aproximamos do budismo, o que gostávamos mais nos ensinamentos, se praticavamos meditacao.


Nestes 03 dias tivemos muitas conversas assim. Encontramos diferentes pessoas durante os almocos e jantares (to considerando que falei atraves da Isabel!!!!!): professora de vipassana da universidade da Birmania, professor da universidade de Cingapura, da universidade Naropa nos EUA, budistas da Malasia, Sri Lanka e Cambodja!!!! Todos, tantos eles quanto nós, curiosos uns dos outros. Como se formassemos uma grande familia espalhada por muitos lugares e estivéssemos aqui para um grande encontro. De alguma maneira todos falávamos daquilo que nos une, os ensinamentos do Buddha. No final da tarde iremos para Buddhamonton, um parque onde está uma grandiosa estátua do Buddha em pé. Lá acontecerá uma procissao de velas. Já imaginaram? Toda esta gente que confraternizou nestes 03 dias agora caminhando em torno do Buddha? Imagino que sera emocionante.

© fotos, Dhanapala 2009

2 thoughts on “Pátchima no Oriente 6

  1. Fátima, que máximo!

    Demorei um pouquinho para “cair a ficha” de quem seria a “Pátchima”, mas depois que vi as fotos… estou acompanhando as notícias e vibrando com a viagem de vocês!

    Abraços pra todos aqui de longe!

    Marcelo
    Caxias do Sul/RS

  2. Que maravilha! Ah! Estava torcendo para ver vocês vestidas de bailarinas… muito bom…!

Os comentários estão fechados.