passeando por Delhi

passeando por Delhi
04.01.2011

Relato da Pátchima:

Dia de passeio em Delhi. É preciso muita coragem amigos. Um frio de lascar.


Primeira parada – a grande mesquita Jama Masjid concluída no ano 1656. É a maior e mais conhecida mesquita no país. Vou ficar devendo comentários a respeito da mesquita porque estava um frio danado, para entrar tinha que tirar o sapato e a gripe que tinha me derrubado um dia antes podia animar-se com tanta desfaçatez. O que vi do lado externo foi uma construção belíssima em arenito vermelho, com as características arquitetônicas muçulmanas.

Jama Masjid





Seguimos para o Forte Vermelho – está localizado na velha Delhi. Construído no sec. XVII, quando o soberano Shah Jahan, o construtor do Taj Mahal, decidiu mudar a capital de Agra para Delhi, logo após a morte de sua esposa. É gigantesco! Muralhas altas que abrigam uma cidade. É uma área muito grande, um oásis em meio ao burburinho do centro da cidade. A gente vai entrando por uma sequência de jardins e palácios (o que restou deles) muito bonitos, com salões cujas colunas lembram as construções greco-romanas. Domos belíssimos no alto das construções.

dentro do Forte Vermelho
dentro do Forte Vermelho



Próxima parada – Portal da Índia – é !!! Aqui também tem, como em Mumbai. Está situado no coração de Delhi e homenageia os soldados mortos na segunda guerra mundial e guerras afegãs. A gente olha para ele e imediatamente lembra do Arco do Triunfo.






Seguimos para o Qutab Minar – esse pessoal aqui não economizava em beleza. O Qutb Minar mede 72.5 metros de altura e é o minarete de tijolo mais alto do mundo. Ele foi construído em 1193. Ao redor do minarete que é belíssimo estão várias construções (o que restou delas) com características do estilo indiano da época.







Última visita do dia – Templo do Lótus – é o lindo templo da religião Baha’i em forma de lótus. Todo em mármore branco vindo da Grécia. Imponente e majestoso o templo se destaca na parte alta da área onde está localizado. Para chegar nele caminha-se por um jardim muito agradável.





Encerramos o dia jantando com uma amiga do Prof. Ricardo chamada Maya. Ela é professora de literatura numa universidade só para mulheres e defende uma tese sobre Gandhi. Experimentamos os sabores da comida Bengali, num restaurante muito agradável. Até gostei dum quiabo temperado com manga !!! Loco de bom.


Quando saímos do restaurante, sentimos como é experimentar 3º graus em Delhi. Amanhã pela manhã continua o passeio.

Cf. também relato da Rosana desse dia aqui