Entendendo nossa própria prática

Na primeira semana de nosso Minicurso Online: Conversando Sobre Meditação, refletimos sobre como utilizamos das várias técnicas de meditação que aprendemos ao longo da vida. O Buddha, em sua época, se defrontou também com o mesmo problema. É relatado que ele visitou vários professores e aprendeu várias técnicas. Como nos dias de hoje em que é comum convidar professores para palestrar em universidades e institutos, também naquela época, filósofos abraçando uma grande diversidade de crenças encontravam-se para discutir e debater, trazendo consigo, por vezes, seus discípulos. O Buddha começou sua carreira religiosa como andarilho, visitando e estudando sob alguns mestres importantes da época. Depois, ao constatar a insuficiência dos ensinamentos religiosos de seu tempo, tornou-se eremita por seis anos. Após seu Despertar, ele retoma o modelo de andarilho, no qual continua até o fim da vida.

Entendermos como fazemos uso das técnicas aprendidas é importante e mesmo o lugar possível das práticas ascéticas experimentadas pelo Buddha antes da Iluminação pode ser útil.

Hoje começaremos a segunda semana conversando sobre o significado da palavra oriental que foi traduzida no Ocidente como “meditação”, e que inclui noções precisas, porém amplas, sobre esse conceito. O modo de ensinar do Buddha foi gradualista, e entender isso nos ajuda a organizar nossa prática. Fundamentalmente precisamos entender qual é a essência da prática, aquilo que está por trás de seja qual for a técnica particular que cada um de nós usa. Será dessa forma que uniremos sabedoria e compaixão, entendendo os fatores fundamentais que “criam” o mundo de sofrimento em que agora vivemos.

Este Minicurso Online é dedicado a vários temas que esclarecem dúvidas que as pessoas têm a respeito da meditação. Por meio de aulas, exercícios, conversas entre os alunos e com o professor exploramos no que consiste uma mente apropriada para a prática. Seja bem-vindo para participar.