A Completude da Intenção

Uma das coisas que são surpreendentes na descrição do Caminho Óctuplo (que o Buddha considerou como as coisas essenciais a serem praticadas por qualquer um que almeje o despertar) é que, curiosamente, noções como compaixão ou amor não estão presentes. Será que essas duas virtudes simplesmente não são necessárias quando falamos de caminho para a iluminação? Ou será que existe algo que não sabemos sobre o Caminho Óctuplo?

Dos 8 elementos do Nobre Caminho ensinado pelo Buddha, a Intenção Completa figura como a entrada da ação ética de um lado e o resultado da compreensão genuína de outro. Mas geralmente quando ela é descrita, apenas afirmações genéricas sobre ter “boas intenções” ou “bons pensamentos” são mencionadas. Nesse fim de semana estaremos em um workshop em Curitiba, com aulas e prática de meditação, vendo o modo tradicional de se entender esse fator, bem como formas de praticar a Intenção Completa, também traduzida geralmente como Pensamento Correto ou Aspiração Correta, compreendendo a máxima de que as intenções precedem nossas ações e determinam nossa felicidade.

Cinco aulas do workshop de Curitiba (sexta, sábado e domingo) serão transmitidas ao vivo via internet. Inscrições podem ser feitas até as 17h30 horas de hoje. Confiram em:

http://nalanda.org.br/agenda/setembro-2010

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

3 Comments

  1. Muito lindo esse ensinamento,vc desenvolver a capacidade de ter compaixão através da compreensão e da mais sublime forma de amor,são realmente primordiais para quem busca estar trilhando caminhos onde o campo espiritual tem uma importância real e verdadeira na jornada da existência.E tudo isso requer muita atenção.
    Belo o seu Blog…
    Um abraço.

  2. Eu sempre vi, e vejo (ao menos até saber do que será dito neste WS!;) Que amor e compaixão são ‘resultantes’ inevitáveis de uma compreensão completa da realidade, a saber, anicca, dukkha e anatta. Sei do papel importante que o cultivo direto e efetivo do amor exerce no progresso da compreensão contemplativa, mas confesso que o caminho da compreensão que leva ao amor sempre foi o meu ‘preferido’…

Comments are closed.