A Meditação é uma Prioridade?

Meditar é uma prioridade para você?

O professor de dharma, Godwin Samararatne, nos pergunta, neste trecho traduzido pelo grupo de tradução do Centro Nalanda, se a meditação é nossa prioridade:

Temos de ter clareza em nossas mentes sobre as nossas prioridades na vida. Qual é a prioridade mais importante que você tem na vida? E então você tem que descobrir, se você tem uma lista de prioridades, onde a meditação se encaixa nessa lista. Se o compromisso com a meditação está entre as primeiras prioridades, ficando talvez em primeiro, segundo ou terceiro lugar, então, a meditação vai cuidar de si mesma. Isso porque, se você conhece claramente o seu compromisso com ela, então, você nunca vai dizer: eu não tenho tempo para a meditação.

Neste ponto, aquilo que pode ajudar é descobrir se realmente vocês gostam ou não de meditação, se a acham interessante, se conseguem desenvolver curiosidade acerca dela e se desenvolveram claramente um gosto por ela. De outra forma, como podem ter um compromisso com a meditação, estarem motivados por ela, se acham que é uma grande batalha, muito desagradável e que requer um grande esforço quando vocês estão praticando?

Então, tenho uma sugestão: não fique preocupado ou apreensivo com o progresso e os resultados da sua meditação, mas apenas tente ver o que você está fazendo como algo interessante. Um dos professores contou uma símile muito bonita sobre isso. Ele disse: É como um jardineiro que está plantando. Se ele é um bom jardineiro, ele deve gostar do que está fazendo. Isso quer dizer que ele simplesmente gosta do processo de aprender a cuidar das plantas. Ele acha isso interessante e talvez às vezes até mesmo desafiador. Então, quando um jardineiro planta algo, ele nunca sabe quando as flores virão ou quando os frutos chegarão. É esse tipo de relacionamento que devemos tentar cultivar na meditação“.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.