A vida online correta

a-vida-online-correta-sobre-budismo

por Derley Alves

Um dos elementos do caminho óctuplo é a fala correta. Falar a verdade, não mentir, não ser fofoqueiro, etc., são algumas das coisas envolvidas nessa prática. Em tempos de internet, redes sociais e grupos temáticos em redes sociais, não seria estranho inserir sob essa rubrica a “digitação correta” ou a “vida online correta” como modalidades de fala correta.

A fala por si mesma, com olho no olho, tom de voz e contexto, não está livre de más interpretações e de produzir algum tipo de sofrimento para falante e ouvinte ou mesmo terceiros. Gostaria de falar especificamente de incompreensões e não da fala incorreta deliberada, pois me parece que muito da confusão que causamos ou que vemos em redes sociais deriva disso. Não é incomum que alguém entenda mal o que falamos, veja lá algo que não pensamos em dizer ou que se sintam ofendidas ou agredidas por algo feito sem tal propósito. Também nós por vezes vemos demais, ouvimos demais ou somamos nossas próprias projeções habituais na fala do outro e somos os ofendidos, agredidos ou os exegetas desorientados. Todos estamos sujeitos a isso, e a prática da vigilância, mesmo em níveis iniciais pode revelar para nós algo nesse sentido.

Tudo piora quando nos manifestamos ou lemos manifestações alheias em redes sociais. Como a tela de nosso dispositivo carece de olho no olho e tom de voz, no máximo temos o contexto da rede social, fica por nossa conta adicionar sentimentos ou intenções à palavra digitada. Por vezes a foto do perfil pode ser a “chave” para qualificar negativa ou positivamente o que foi digitado. É comum que explicações sejam inúteis para conter o curso da raiva. Penso que por conta disso é fundamental trazermos também para nossa vida online a prática da fala correta, tentando manter a vigilância antes, durante e depois de digitar algo. Ou ao ler algo que alguém escreveu. Não nos coloquemos aqui na tentadora e vantajosa posição do incompreendido. Muitas vezes somos nós os que não entenderam. Termino com uma citação do Dhammapada (17. 232):

Que as pessoas se protejam de irritação ao falar;
Que as pessoas sejam controladas na fala.
Abandonando má conduta verbal,
Que se pratique a boa conduta ao falar.

Derley Alves

Professor de filosofia e praticante buddhista da escola theravada. Membro do grupo Nalanda. Estudante da relação entre buddhismo e ocidente.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.