rewata dhamma

Alegre Viajante – 4

Foi também no final de 1974 que o Dr. Rewata Dhamma recebeu o convite para dirigir um centro buddhista na Inglaterra, mas recusou por causa de seus compromissos. U Nu, o ex-Primeiro Ministro da Birmânia, então em exílio, veio a saber a respeito disso e convenceu o relutante acadêmico a mudar sua decisão. Muito antes de deixar a Birmânia, U Nu relembrava, havia uma previsão de que o jovem monge se estabeleceria no ocidente. O Dr. Rewata Dhamma supunha que sua ida para Varanasi era o que se queria dizer. Agora ele havia sido persuadido de que era a Inglaterra, e não a Índia, seu objetivo final. E assim partiu para Birmingham em 1975.

Começar tudo de novo numa terra estranha necessitou coragem e humildade. Na época, Bhante se aproximava da meia-idade e apesar de seu conhecimento do inglês escrito ser bom, ele nunca aprendeu a falar bem. Ele não tinha monastério para o qual ir e muito poucos amigos neste novo país. Havia também o imenso contraste entre o clima tropical com o qual estava acostumado e o incerto clima britânico. Bhante disse certa vez que isso era um grande professor sobre a impermanência e conferia as mais convincentes lições de Dhamma. Se não estivesse já convencido dessa verdade cardinal e fosse um leal filho do Buddha, ele jamais teria vindo.

Na época em que chegou havia poucos monges estabelecidos fora de Londres. O Dr. Rewata Dhamma foi portanto um pioneiro daquilo que hoje é comum. Primeiramente ele ficou em um apartamento separado do Soto Zendo de Vajira Bailey, nas imediações de Birmingham. Depois disso, um apartamento foi providenciado para ele no centro de meditação de Oakenholt em Farmoor, nas imediações de Oxford, que a família Saw então dirigia. Foi lá que encontrou novamente com Aung San Suu Kyi (então casada com um professor universitário), tal como relatou muitos anos mais tarde em uma entrevista para a revista japonesa Isto é Yomiuri:

A primeira vez que encontrei Aung San Suu Kyi foi durante o começo da década de 1960, no Parque das Gazelas em Isipatana, perto de Varanasi, onde o Buddha Gotama pregou seu Primeiro Sermão. Suu Kyi veio a Varanasi com sua mãe, Daw Khin Kyi, então embaixadora de Myanmar na Índia. Estavam lá para realizar deveres religiosos. Eu e meus companheiros monges nos consideramos bastante afortunados sermos capazes de nos encontrar com a família do antigo general Aung San, o qual era um herói da luta pela independência de Myanmar em relação aos birtânicos.

A mãe de Suu Kyi generosamente convidou os monges para visitar sua residência em Nova Delhi, então sempre que eu ia lá, visitava Daw Khin Kyi e costumava ver sua filha de tempos em tempos. Uma coisa que notei realmente sobre Aung San Suu era que, apesar de jovem, ela já era uma pessoa notavelmente determinada e consciente.

Em 1978, encontrei-a novamente, desta vez em Oxford, quando Sua Santidade o XVI Karmapa veio visitar o Centro Buddhista de Oakenholt, onde eu vivia na época. Aung San Suu Kyi, seu marido e seus dois filhos pequenos estavam entre os convidados. Ela falou comigo em birmanês e disse que era a filha de Aung San, e me deu seu endereço em Park Town, Oxford, onde costumei visitá-la de tempos em tempos. Sempre que dava aulas em Oxford ela sempre vinha de bicicleta para me ver. Minhas primeiras impressões de seu caráter quando era jovem permaneceu sem se modificar à medida que a conheci melhor nesse período de cerca de cinco anos’.

Compartilhe com seus amigosShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Comments are closed.

Powered by: Wordpress
%d blogueiros gostam disto: