Buddha Cariya 7 – final

Como, por nossa vez, poderíamos aplicar a metodologia do Buddha, por exemplo, ao lidar com corporações farmacêuticas multinacionais? Se desejarmos penetrar em seus corações, precisaremos penetrar em seu lado meritório. Se apenas as repreendermos, elas criarão uma parede contra nós. Deveríamos encorajá-las para que fizessem coisas boas como produzir medicamentos aos quais os pobres tenham acesso. Ao mesmo tempo, no caso em que há estímulo ao consumo desnecessário de medicamentos, precisamos criticá-las por suas táticas abusivas como o excesso de publicidade.

A algumas perguntas, o Buddha não responde. As perguntas feitas só por curiosidade, perguntas sobre metafísica, e perguntas que não são benéficas para a obtenção do Nibbana.

O caminho da Buddha é holístico. Ele vê a pessoa como um composto tríplice: corpo, coração e sabedoria. Para o corpo, ele ensina sila para relações e comportamento normais, inclusive consumo e estilo de vida. Para o coração, ele ensina qualidades do coração como compaixão, perdão, etc. que também manifestam-se em comportamento e relações. Para a sabedoria, ele dá muitos ensinamentos de Dhamma profundos como o trilakhana, etc.

No ensino do Buddhismo, professores ou monges podem enfatizar só um aspecto. Por exemplo, eles podem enfocar a meditação, mas ignorar a sabedoria, o consumo atento ou o estilo de vida simples. Ensinamentos buddhistas para um desenvolvimento completo e para seguir o exemplo do Buddha, devem ser do modo holístico entre a comunidade de bons amigos.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.