começando o ano em Sukhothai

Pátchima:

2010 !!!!!!!!!!!!!! Apos cafe da manha subimos todos na caçamba de uma caminhonete e fomos para o Parque Historico de Sukhothai. Paramos para alugar nossas bicicletas e começamos nossa jornada parque adentro. Dia lindo de céu azul e calor escaldante. Grupo animado, num clima amigável que torna qualquer atividade prazerosa.

Vou dizer uma coisa pra voces: fabuloso !!!!!!!!!!!!!!!!! O parque é enorme e por isso as bicicletas. O que traz para a visita ao parque um jeito divertido e agradavel. A impressao que tive é de que nos reportamos para um universo bastante próximo das crianças que experimentam conhecer as coisas de forma lúdica. Entao….foi só otimo!

O parque abriga ruinas da antiga capital do primeiro Reino do Sião nos séculos XIII e XIV, protegendo mais de 190 ruínas entre templos e esculturas. Em meio a uma natureza generosa em dispor tanta beleza num local só, ficamos circulando por entre os vários monumentos. Gastamos nossos olhos e enchemos nossos coraçoes e mentes. No espaço do parque (70 km2) a quantidade de ruinas de templos é impressionante. Estar aqui desfrutando um pouco da historia é mais do que bom.

Pós almoco voltamos para a pousada. Cansados mas ainda com folego para uma pedalada. O grupo decidiu descansar. Alguns a beira da piscina e os demais como melhor lhes aprouvesse. A tardinha retornamos ao parque. Se é lindo a luz do sol…fomos conferir se é possivel ficar mais bonito sob luz artificial!!!! Como os momumentos nao estavam iluminados, apenas andamos de bibicleta pelo parque, agora já escuro, com milhoes de mosquitos esfomeados…assim como nós!!! Saimos rapidinho para o restaurante. Um prazer atrás do outro esta Sukhothai nos proporciona. Comida deliciosa e retorno com a luz da lua cheia sobre nossas cabeças. Pedalando, pedalando, pedalando….terminamos este primeiro dia do ano.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.