De onibus de Paris ao Porto

Se eu tivesse escolhido ir de onibus quase que teria chegado mais cedo. Depois de um intervalo na conexao (entre chegar em Paris e o voo para a cidade do Porto) de 6 horas e um atraso do aviao de 7 horas, fica estabelecido que não é apenas no Brasil que ocorrem atrasos nos aeroportos. Em treze horas dá para conhecer um bocado do Charles de Gaulle em Paris. Claro, perdi o primeiro dia do curso no Porto, e senti pelas pessoas que nao puderam ter o curso inteiro. Ainda assim foi possivel cobrir um pouco do essencial.
Porto está ensolarada, e na sexta pude passar a manhã no Parque da Cidade, um grande e belo parque, que conta com uma variedade de pombos, patos, marrecos e árvores, incluindo uma Bodhi Tree. No caminho, decidi comprar amendoim salgado no “Pingo Doce”, um supermercado cujo slogan é ‘sobe bem pagar tão pouco’. Se no Brasil, dizemos que ‘cai bem’ fazer isso ou aquilo, porque não dizer aqui que as coisas ‘sobem bem’? Foi só à noite que me informaram que li errado e o slogan é ‘sabe bem pagar tão pouco’, o que não ajudou tanto a entender a mensagem. Mas no geral meu entendimento tem sido bem melhor que da primeira vez. Claro, ainda levou quatro repetiçoes para eu entender que era ‘comestível’ aquilo que eu estava escutando como ‘combustível’, o que absolutamente não fazia qualquer sentido no contexto da conversa.
Andar pelas ruas continua sendo um divertimento contínuo. O que, por exemplo, seria um Castelo de Queijo? Um castelo feito de queijo, algum tipo de entretenimento comestível para crianças e adultos? Ou um castelo antigo onde os primeiros queijos foram feitos? Segui as placas, mas sinto que os leitores continuarão tão sem saber quanto eu pois não fui capaz de encontrá-lo. Mulheres, assim como homens, ainda podem pegar autocarros e seguirem para “Gatões” (caso se sintam solitárias) e quem estiver com um espírito mais festivo, poderia tomar aquele que ruma para “Bolhões”. O bom tempo estimula os passeios (dá pra sair tranquilamente de ‘camisola’ durante o dia) e noto que agora há vários daqueles onibus (perdão, autocarros) duplos, tão típicos de Londres, onde os turistas passeiam pela cidade a fim de apreciar suas belezas.
A bela cidade do Porto e seus habitantes certamente convidam para uma temporada mais longa, mas no momento é hora de retirar-se. Após um agradável almoço com o Lécio, que introduziu-me num novo tipo de bacalhau para minha lista (bacalhau com broas) à tarde rumamos para o local do retiro, um prazeroso mosteiro, com freiras gentis e um belo céu azul claro com nuvens vermelhas suaves para o entardecer. No tema para o retiro, um estudo sobre o ensinamento sobre a nobre busca, um ensinamento central do Buddha. Felizmente dessa vez não chegarei atrasado.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

2 Comments

  1. é, de facto o Porto tem essas coisas todas e ainda mais…

    obrigado peo me incluir nesta descrição simpática e agrdável da nossa cidade.

    votos de saúde e boa prática

    abraço amigo
    Lécio

  2. Notícias enfim !!!!! Bom retiro por aí! Abs. Fátima

Comments are closed.