Diluições I

Comentando seu mais novo livro: “The Gods Drink Whiskey: Stumbling Toward Enlightenment in the Land of the Tattered Buddha”, Stephen Asma é perguntado: “Por que o Zen floresceu no Ocidente enquanto que o Theravada não levantou vôo?” Ele dá uma resposta interessante:

“Penso que o Zen floresceu no Ocidente porque ele foi diluído – a forma rígida monástica não foi enfatizada – e ele se tornou um exercício espiritual, algo como uma yoga. O Zen introduziu o Buddhismo como uma simples prática de concentração e nada mais. Os americanos adotaram a idéia da meditação, mas deixaram para trás a austera dsciplina do Zen e o contexto cultural e histórico. Este Zen Buddhismo neutro não tem qualquer bagagem, e os americanos, assim, sentiram que podiam acrescentar nele quaisquer crenças de que já desfrutassem. Isso parece uma vantagem inicialmente (“Vejam! Sou um cristão e um praticante zen!”), mas isto apaziguou os americanos fazendo-os pensar no Buddhismo como a massa de borracha das religiões – infinitamente maleável e convenientemente na moda. O Theravada possui uma tradição intelectual muito mais filosófica. Ele não se presta tão facilmente às fusões culturais que o Zen produziu”

.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.