Em Rajgir – 1

Em Rajgir
(30.12.2010)



Relato da Pátchima:

Amigos, infelizmente vou ter que resumir o dia que foi sensacional !!!! E ainda acho que o texto ficará demasiado grande. Acho que a Rosana em seu blog descreverá em mais detalhes o tanto de coisas que aprendemos e vivemos. De saída, só para vocês terem uma idéia, estivemos o dia inteiro em lugares que o Buddha esteve!!!

É de arrepiar. Até a ficha cair demorou um pouco. Pois aquele Buddha dos livros andava por este lugar, ensinando pra lá e pra cá. Um lugar cheio de significado para os buddhistas.

Saímos cedo para subir a montanha e chegar ao Pico dos Abutres. Antes, só para vcs saberem, Rajgir está localizada dentro de uma extinta cratera de vulcão e tem 31.000 habitantes. No caminho para a montanha paramos para visitar o Mosteiro de Jivaka, o médico do Buddha, que ofereceu um parque para a sangha. É conhecido como parque das mangas de Jivaka.

Parque das Mangueiras de Jivaka

Imaginam o que é estar pela primeira vez num lugar onde o Buddha esteve? Estávamos começando a fazer os passos do Buddha pela região !!! Tá certo que será pouca coisa, mas já é muito pra nós que viemos de tão longe.

Subiremos a montanha por um teleférico até a Stupa da Paz. Muita gente na fila e olhe que chegamos cedo. Muita gente furando a fila na cara dura!!! Eles vêm sorrindo, mãos em prece e se plantam na tua frente..ahahaha .A subida nas cadeirinhas individuais foi muito divertida.



Lá em cima apreciamos a bela construção realizada por japoneses da tradição Nichiren. A Stupa possui 04 imagens do Buddha, representando momentos importantes da sua vida.



Tomamos uma trilha feita por ocasião da visita do Dalai Lama e começamos a caminhar em direção ao Pico dos Abutres. A paisagem é muito bela. E quem andava por ali? Pois, o lord Buddha, como sempre nos dizia o guia.



Um pouco antes de chegar no topo, paramos para visitar a caverna em que Ananda (sim, o próprio) ficava meditando!!! Imaginem que a sangha inteira, os monges mais importantes meditavam por ali.



Mais um pouquinho e outra caverna onde os monges meditavam. Subindo, subindo, chegamos no topo do Pico dos Abutres. Cheio de bandeirinhas tibetanas. Bem especial o lugar. Uma visão privilegiada das outras montanhas. Chegamos a um altar onde as pessoas fazem oferendas e por lá ficamos um tempo desfrutando da maravilha que é estar num lugar daquele. Sentimento de gratidão toma conta da mente.

Descida sob sol escaldante.

Na volta ao hotel paramos rapidamente para visitar o lugar onde esteve preso o Rei Bimbisara. A estória é trágica. Poder e morte que envolveu gerações.

Na próxima publicação, o que fizemos depois do almoço!

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

3 Comments

  1. Estou acompanhando a viagem de vcs e lendo com muito interesse as postagens emocionadas, muito obrigado pela sua viagem…

  2. Fá que peregrinação abençoada, andar nos passos do Buda e meditar da caverna de seres iluminados, isso me lembrou aquela ilustração do monge que sai andando com o elefante subindo um trilha =D
    mais moderno né porque no desenho não tem teleferico hehehhe!!! tem sido muito bom viver com você a viagem por aqui!
    ^^

Comments are closed.