Fazendo Bom Uso das Três Portas da Ação

~ um excerto de uma palestra do Mestre Jen-Chun sobre “os conceitos básicos que um buddhista deve saber”.

Corpo, fala e mente são comumente conhecidos como as três portas da ação. Como fazemos uso de nosso corpo, fala e mente para que então funcionem como o verdadeiro corpo, fala e mente? O intuito do meu verso é responder à essa questão.

Deixem que o seu corpo mostre integridade.

Agora que são um estudante e um praticante do Dhamma de Buddha, o princípio orientador mais importante para corrigir as ações do corpo é o de agir correta e honradamente; não mostrar ser uma coisa na presença dos outros e depois deixar-se cair na lassidão quando se está sozinho. Desta forma, as suas ações corporais não terão integridade. E o que é a verdadeira integridade? Integridade significa comportar-se da mesma maneira quer estejamos a ser observados pelos outros ou não. Significa que a sua ação emana dos seus padrões interiores e não do desejo de ganhar a estima dos outros.

Sejam claros no seu discurso.

As pessoas comuns falam lógica e coerentemente, mas a lógica e a coerência não bastam. A marca do verdadeiro discurso é falar palavras com sentido, palavras inspiradoras. Não é fácil para as pessoas comuns falar claramente. Por quê? Porque a sua sabedoria é limitada. Quando têm de falar de assuntos fundamentais, podem não saber explicá-los com clareza, não inspirando assim os outros.

Qual é o valor da linguagem? Se vocês tiverem verdadeira sabedoria, uma profunda e correta compreensão do Dharma, suas palavras serão muito claras e possuidoras de um excepcional poder de mover as pessoas. No momento correto uma palavra sua pode resgatar alguém à beira da morte e trazê-la de volta para a vida. Assim, o conteúdo da fala é claro e poderoso. Suas falas são como uma luz brilhante. Normalmente, as mentes das pessoas podem ser confusas e obscuras. Se vocês usarem a fala acuradamente para desembaçar e clarear a mente das pessoas, esse é o valor da fala.

Deixe sua intenção ser gentil e firme: Ninguém pode ver as intenções de outra pessoa, pois elas são particulares e secretas. Mas vocês podem saber de suas próprias intenções. Como cultivam, praticam e mantêm a sua intenção? A diretriz é “ser gentil e inabalável”. O que é bondade? Ser gentil é ser puro, altruísta, decente, e compassivo. Isto significa que em todos os assuntos vocês sempre consideram os outros em primeiro lugar. Às vezes vocês estão prontos a passar por sofrimento a fim de permitirem que outros vivam melhor do que vocês mesmo. Este é o significado da bondade. Se tiverem esse tipo de intenção, sua mente terá um profundo senso de moralidade. No devido tempo vocês naturalmente trarão o seu senso de obrigação moral a bom termo e cumprirão sua missão como um discípulo do Buddha.

Ser “inabalável” significa que sua mente permanece consistentemente sadia. Se sua mente não tiver um poder estabilizador especial, então sob circunstâncias difíceis vocês ficarão inquietos. Vocês serão sacudidos por circunstâncias e não poderão manter o equilíbrio interno. Se realmente atingiram algum nível de sucesso em praticar o Buddha Dharma, sua mente ficará naturalmente tranquila. Ao lidar com pessoas difíceis ou quando se depararem com condições obstrutivas, seu comportamento será puro, honesto, simples e bondoso. Não serão sarcásticos e cruéis, continuarão em seu intento sem qualquer preocupação com relação ao ganho e à perda. Tais preocupações jamais lhes perturbarão.

Como se tornar uma Pessoa Poderosa

Não é por meio de arsenais cheios de armas letais
Nem por batalhões de tropas que se movem rapidamente
Que podemos vencer as forças da escuridão
E abrir os portais da liberdade para o mundo
A fonte do verdadeiro poder não jaz na dominação
Pela força bruta das armadas ou no brilho fugaz do ouro.
A fonte jaz escondida profundamente dentro de nós,
Mas a fim de encontrá-la devemos usamos as ferramentas apropriadas.
A primeira chave para o sucesso é o poder da fé,
Confie em uma sabedoria suprema que nos aponta para o bem.
A fé assenta a mente e nos inspira com coragem,
Incita-nos às ações de alegre autotranscendência.
Mas os agentes do dano espreitam nas sombras escuras da mente.
Prontos para lançar suas reder quando nossa vigilância se enfraquece,
Para sustentar seus ataques e manter nosso autorrespeito
O poder da vergonha nos mantém firmes no caminho.
Contemplem profundamente nossa inter-relação com todos os outros,
Considerem o calor da estima aos olhos dos outros.
Reflitam nos frutos amargos das ações impensadas,
Deixem que o poder do temor moral nos mantenha longe do abismo.
A via para a libertação não é para os fracos,
Nem para aqueles dados à autopiedade e ao desespero.
É somente pelo poder revigorador da energia
Que podemos nos tornar heróis, verdadeiros mestres de nossas mentes.
Viajando pela noite, envolvidos na densa neblina,
Vagamos sem sentido no labirinto de nascimento e morte.
Agora, usem o poder da sabedoria como a luz
Para guiar nossos passos para a margem da liberdade final.
Equipados com estes cinco poderes ensinados pelo grande Sábio
Levantamo-nos como conquistadores mais fortes que quaisquer inimigos.
Mestres de nós mesmos, exemplos da nação,
Iluminamos o mundo como o sul radiante do meio-dia.

por Ven. Bhikkhu Bodhi ~ o poema foi o tema de um ensinamento dado.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.