Imperfeições levando à autotransformação

Encorajo-os a usar as Quatro Nobres Verdades em seu dia-a-dia. Para fazer isso, temos de usar a reflexão. Vou lhes dar um exemplo: quando estão a sofrer, quando estão magoados, zangados, com raiva, desiludidos, nesse momento têm de aprender a refletir: porque estou zangado? Qual é a causa disso? Que expectativas tenho? A que modelo estou a me agarrar? Esse tipo de reflexão lhes permite ver muito claramente como estamos a criar sofrimento para nós mesmos.

E esse tipo de reflexão pode naturalmente aflorar uma autotransformação. Ele também permite observarmos a nós mesmos ao invés de olharmos outras pessoas. Então quando você aprende a refletir e olhar cada vez mais para o seu próprio comportamento, você vê mais claramente seus monstros, fraquezas, falhas e talvez alguns aspectos positivos também! Então isso vai realmente lhe ajudar em sua relação com outras pessoas, quando você vê as fraquezas de outras pessoas: Ah, eles são como eu e eu sou como eles. Então você pode ter um verdadeiro sentimento de unidade com seus companheiros seres humanos e ver que somos apenas um grupo de seres humanos imperfeitos.

O que é importante sobre essa reflexão é que você não apenas vê suas fraquezas e falhas, mas você aprenderá a ver suas qualidades positivas também. Você terá de ter um bom equilíbrio para se ver objetivamente como você é mesmo. É muito importante ver tanto as falhas como também aquilo que chamamos de sucesso“.

Um ensinamento do prof. de dharma Godwin Samararatne traduzido pela equipe de tradução do Centro Buddhista Nalanda.

Gostou deste artigo? Inscreva-se em nosso boletim para receber notícias por email sobre novos textos selecionados, eventos, cursos online e lançamentos de livros. Enviamos no máximo 1 email por semana.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.