Intercondicionalidade

Tan Ajahn
Ao contrário de muitos buddhistas que negam veemente e apressadamente a existência de Deus, Ajahn Buddhadasa possuía uma abordagem diferente sobre a questão. Foram muitas as vezes que o ouvi dizer que o Buddhismo também tem um Deus e este era a lei da interdependência.

O dhamma que sempre cria e controla todas as coisas é idappaccayata, que é uma lei da natureza”.

Ele complementa: “Esta lei afirma que: “Por causa disto, aquilo é causado ocorrer; e por causa da ausência disto, aquilo não ocorre”. Isto é aquilo que o Buddha descobriu e respeitou como lei última. Todos deveriam saber sobre isso e agir de acordo com isso; do contrário, dukkha (sofrimento) não poderá ser eliminado”.

É essencial que todos os seguidores do Buddha compreendam a lei da intercondicionalidade, verdadeira chave para o entendimento das doutrinas, desde as mais básicas até as mais profundas, do Buddhismo.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

3 Comments

  1. Obrigada pelo presente.
    Chegou numa hora de extremo desencanto, o que é bom, sem desencanto não há como escapar do sansara.

    Essas imagens suscitaram em mim algumas lembranças, tb me vi tendo momentos de puro deleite, em outros um misto de tristeza e dor e me vi a indagar – e eu, onde foi que me perdi? Terminei a serie com uma ponta de esperança e um bocado de alento…. é possivel.

    Voltei a reler os poemas de AB, agora com novo olhar, as imagens ainda presente associadas as palavras bailavam a dança da vida diante de mim.

    aproveito e faço uma sintese de um outro comentario que não foi enviado.

    Agradeço a indicação do livro ” o outro lado do espiritualismo modermo”. Aliás acompanho o autor pelo site do nalanda, desde que as indicações de leitura não passavam de dois ou três titulos,e os textos idem. Recentemente me supreendi com a qtdade de titulos.

    Tb estou presente em várias listas de discussões de budismo e gosto das intervenções do autor, pontuais e sem afetação, principalmente qdo se trata de iniciantes.

    Transmita essa para o autor, .. rsrs

    Há mais de dois anos qdo retornei a terra natal- interior de SP,já na primeira semana sai para garimpar em pseudos livrarias e os recentes sebos que começam a despontar por aki.
    Na maior delas, um misto de papelaria/livraria apinhada de quinquilharias, com um espaço muito pequenos para livros, a não ser os didáticos, topei com ” o caminho contemplativo”. Entre supresa e alegria, observei que entre dois ou tres titulos do DL
    era o unico autor de Budismo presente.Foi um presentão de retorno, já que havia perdido meu exemplar num emprestimo. Pelas condições da capa percebi que o titulo era antigo ali – não tive dúvidas e nem pechinchei… ora a capa … nada que um bom e velho durex não desse conta, sabia do conteudo valioso.

    Recentemente meu irmão descobriu por si mesmo o budismo e pediu indicações. Dei como referencias os
    sites dharmanet, acesso ao insight, o nalanda e daissen zendo.

    Semana passada ele aportou aki em casa querendo livros. Deixei que ele proprio fizesse sua escolha. Depois de examinar orelhas e sumários, escolheu dois titulos e um deles foi ” o caminho contemplativo”, claro que foi impossivel não deixar de sorrir diante disso, era autor e obra cumprindo sua função. Como vê esse autor lá das Gerais, já aportou aqui onde a cana dá…
    grata pela atenção
    ana

  2. É isso mesmo Ana. Esta é uma das minhas preferidas. E sintetiza bem aquela atitude de contemplação consciente de nosso espaço em torno. Em PB ficaria ótima tb.

  3. Bela foto!
    Forte, impactante…
    Passei bem uns bons minutos observando. Não falo de AB, mas
    do conjunto todo.
    Aliás as fotos PB são minhas preferidas.
    ana

Comments are closed.