KAMMA

…ações realizadas com intenção ou motivo consciente

A lei do Kamma- a lei da causa e efeito, ação e apropriado resultado da ação.

Todas as nossas ações se encaixam em três classificações, nomeadamente: pensamento (ação mental), discurso (ação verbal) e corpo (ação física). Para que estas ações se tornem kamma, elas têm de estar associadas a cetana (vontade) ou intenção. Assim, kamma pode ser kusala (sadio) ou akusala (não sadio).

Kamma não é uma doutrina de pré-determinação. O passado influencia o presente, mas não o domina. O passado e o presente influenciam o futuro.

O resultado de Kamma é chamado Vipaka (consequência) ou Phala (frutificação). E isto leva a um bem conhecido e fundamental ensinamento de Buddha – a doutrina do Renascimento.

Kamma é a causa maior de todas as desigualdades do mundo, apesar de nem tudo ser devido a essas ações passadas. A explicação mais simples de como Kamma funciona é: o bem gera o bem; o mal gera o mal; o bem e o mal dão origem ao bem e ao mal; algo nem bom nem mau origina algo nem bom nem mau.

~ uma tradução de Ines D.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.