Uncategorized

Maçãs e Morte

Primeiramente agradeço suas palavras gentis, Antonio, e as visitas do Marcelo e Emerson. De fato, quando uma pessoa está preparada, algumas situações que para outros poderiam ser traumáticas ou desesperadoras, podem revelar um outro lado mais profundo da vida. Talvez a experiência de Jobs com o câncer terminal (ou pelo menos, acreditar em sua existência) é que fizeram-no dizer:

Ninguém quer morrer. Mesmo as pessoas que desejam ir para o céu não querem morrer para chegar lá. E ainda assim a morte é o destino que todos compartilhamos. Ninguém jamais escapou dela. E é assim que deve ser, pois a Morte é provavelmente a melhor invenção da Vida. É o agente de mudança da Vida. Ela despacha o antigo para dar lugar ao novo. Nesse momento, o novo é você, mas algum dia, não muito distante do agora, você gradualmente envelhecerá e será despachado. Desculpe ser tão dramático, mas isso é bem verdade“.

Esse, aliás, é o sentido das meditações sobre a morte (maranasati) na tradição Theravada, uma forma de revelar esse sentido mais profundo da vida, sem que necessariamente tenhamos que experimentá-la de perto. Através delas, talvez possamos conversar com a Morte como o poeta muçulmano Rumi o fazia:

“Tu que dissolves o açucar, dissolva-me,
se esta é a hora.
Faça-o gentilmente com um toque de mão, ou com um olhar.
Cada manhã eu aguardo no alvorecer. É quando ocorreu anteriormente.
Ou faça-o repentinamente como uma execução.
De qual outra forma eu poderia estar pronto para a morte?

Respiras sem um corpo como um lampejo.
Lamentas, e começo a me sentir mais leve.
Mantém-me à distância de um braço.
Mas manter-me à distância me atrai”.

E…sim, eu tirei aquela foto. Assim como essa acima, da stupa onde foram enterrados os oito cabelos do Buddha, dados aos comerciantes que o visitaram na 4a (ou 7a) semana após o Despertar, e que aqueles que atenderam ao último workshop em São Paulo ou os alunos de BH bem se lembram.

Compartilhe com seus amigosShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

One comment

  • RITA
    07/12/2005 - 6:22 pm | Permalink

    PASSAREI ESTAS PALAVRAS PARA UMA UMA PESSOA QUE ESTÁ SIMPLESMENTE FURIOSA COM A PROXIMIDADE DA MORTE. ISSO SÓ TEM CAUSADO MAIS DOR À ELA.
    É MEU PAI.
    OBRIGADA.

  • Comments are closed.