Meditação não é algo que fazemos apenas quando estamos sentados

Nesta semana temos a dica do prof. de dharma Godwin Samararatne a respeito do uso da atenção no dia a dia, traduzida pelo grupo de tradução do Centro Nalanda:

Mencionarei algumas vantagens, alguns benefícios da prática da atenção. Por exemplo, o que está acontecendo agora? Vocês podem estar presente aqui, mas mentalmente estar em outro lugar. Assim, onde vocês estão? Com a ajuda da atenção, voltem aqui, estejam presentes, sejam conscientes do que está acontecendo bem aqui e agora. Este é um aspecto muito importante da meditação, aprender a experimentar o momento presente e também aprender a estar atento e trabalhar com o passado e o futuro.

Outro aspecto importante da atenção é aprender a usá-la para explorar, investigar o que está acontecendo em nossa mente e corpo a cada momento. Desta forma, em qualquer experiência que tivermos, em qualquer situação que precisarmos enfrentar na vida, poderemos fazer um esforço para aprender com ela, fazer nossas próprias descobertas. Isto é muito, muito importante. E se pudermos aprender a fazer isso, poderemos meditar em qualquer situação. Pode ser uma experiência agradável, pode ser uma experiência desagradável, podemos mesmo aprender a saber mais sobre as experiências desagradáveis que tivermos.

Relacionado a isto está outro aspecto da atenção, aprender a trabalhar com as nossas emoções, especialmente as nossas emoções desagradáveis. Todo mundo aqui tem problemas com essas emoções desagradáveis. Pode ser raiva, pode ser medo, ansiedade ou stress; todos nós temos que lidar com essas emoções. Portanto, uma forma de trabalhar com essas emoções desagradáveis é aprender a ser consciente, apenas aprender a estar consciente dessas emoções, quaisquer que sejam essas emoções. Quando estamos experimentando a raiva, por exemplo, podemos estar conscientes da raiva, podemos estar atentos: agora estou experimentando a raiva? Então, ao invés de suprimir a raiva, ao invés de afastar a raiva, ao invés de negar essa raiva, não se entregando a essa raiva, apenas conhecemos essa raiva, e então aprendemos a trabalhar com ela dentro de nós mesmos.

Portanto, o importante não é a pessoa e nem a situação que está criando a raiva mas, ao invés disso, é lidar com a raiva e com o que está acontecendo dentro de você. Se você conseguir aprender a usar sua conscientização desse modo, então a meditação torna-se uma cura real, uma arte da cura. Assim, nós percebemos que a meditação não é algo que fazemos apenas quando estamos sentados. Dessa maneira podemos aprender a meditar a qualquer momento de nossa vida diária, com consciência na vida cotidiana“.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.