Namaste India


Alo a todos! Eis que ja cheguei na India no dia 3, depois de uma parada sempre bem-vinda em Dubai (Emirados Arabes). Dubai eh um daqueles lugares raros em que os homens superam as mulheres quando se trata de vestuario. Com suas tunicas ate os pes, de todas as cores, homens chiques ou simples andam com seus variados chapeus e penteados vindos de todos os lados do mundo arabe e africano. Ha muitos africanos por aqui. Por vezes podemos ver dezenas de uma mesma tribo, homens e mulheres imensamente coloridos.

A chegada em Mumbai foi bem tranquila (uma amiga professora de pali ja estava me esperando no aeroporto juntamente com uma simpatica professora de jainismo), e o unico desejo imediato era poder dormir um pouco. Estou hospedado no Campus da Universidade de Mumbai. A ultima e unica vez em que estive em Mumbai, foi uns 20 anos atras. E isso cresceu muito. Uns dizem que esta com uns 18 milhoes agora. Ja comi minha masala dosa e meus idlis, entao ha pouco que se possa fazer a mais para me deixar contente.

Hoje (e para quem le no Brasil eh apenas o comeco do dia, mas aqui ja eh de noite) perdi a abertura do seminario que ocorrerah de 4 a 7 aqui na Universidade. Seu tema eh muito interessante: “Mystics in World Religions”. Mas so devo assisti-lo a partir de amanha. O motivo para perde-lo foi bom. Coincidentemente minha amiga Maya de Nova Delhi esta aqui esses dias e para nos encontrarmos fez a proposta de visitarmos o Sanjay Gandhi National Park. La estao algumas cavernas buddhistas e ha muito ela queria conhece-lo.

Acontece que um mes atras, ainda no Brasil, eu via um programa da National Geographic sobre animais matando e comendo homens em diversas partes do mundo. Um dos lugares mostrados numa subsecao era um parque na India onde tigres e leoes, pela falta de espaco para se expandirem, estavam causando preocupacao, pois varias pessoas haviam sido mortas por eles dentro do parque. Que lugar melhor, entao, para passar o comeco do ano para alguem seguindo as tradicoes da floresta?? Nao era uma coincidencia que justamente um mes depois do programa ca estivesse eu com esse convite? Bem, como podem notar, nao viramos almoco de nenhum tigre ou leao (ate ha safaris no programa do parque), mas nem por isso o passeio deixou de ser excitante.

As Cavernas Kanheri nao sao muito divulgadas, mas, uau, sao fantasticas, comparaveis, acho eu, as de Ajanta. Nao possuem os afrescos dessas ultimas, os quais dao certamente um toque especial, e sua disposicao nao eh concentrada como em Ajanta, mas vale muito a pena visita-las. Sao mais de 109 cavernas cavadas na rocha pura entre o seculo I a.C. e o IX d.C., para servir de residencia, estudo e meditacao para monges buddhistas. Cobrem uma grande area, e possuem um grande numero de esculturas de stupas, Buddhas, Bodhisattvas, e toda sorte de ser mitologico. Numa dessas cavernas, meu livreto-guia dizia que todos os penteados das mulheres modernas ja estavam representados na velha caverna, pois esculturas belissimas de devotas, taras e apsaras la estavam

Assim, Maya e eu passamos o dia inteiro entre entrar e sair de cavernas, ver macacos e passaros e a espreitar pelos tigres e leoes….

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

3 Comments

  1. Ricardo,

    Boa estada na India.

    Marco Antonio

  2. Cavernas maravilhosas, mas sinceramente Ricardo, com leões e tigres à espreita não sei se conseguiria aproveitar as belezas. Ainda bem que vc eh corajoso.
    Um abraço

    Aparecida

  3. Há um ano eu passei por Mumbai junto com as duas Sandras, quando nosso vôo não pôde pousar em Délhi por causa do nevoeiro!
    A única lembrança que tenho da cidade é a do Hotel Hyatt… 🙂

Comments are closed.