no caminho das ilhas

Pátchima:

Amigos, em nossa última manha em Siem Reap tentamos um passeio de balao para ver do céu a maravilha que é Angkor Thom. Nao deu certo. Os ventos nao favoreciam o passeio. Ficará para uma próxima vez. Embarcamos logo após o almoço para Bangkok. Em Bangkok quase vivemos uma caça ao tesouro. Nosso aviao chegou por volta das 18h e duas vans nos esperavam para deixar-nos na agencia que nos levará para uma ilha. Aparentemente 3 horas parecem suficientes para o percurso aeroporto/centro. Nao com o transito em Bangkok!

Chegamos em cima da hora. Como a agencia está no coraçao do centro, mais emoçao. Centenas de pessoas nas ruas “estreitas”, carros, tuk tuk, todos nós e TODAS as nossas malas!

Agencia lotada. Em sua maioria os passageiros sao jovens. Hora do embarque. Mais emoçao. Passageiros e malas em meio ao movimento das ruas para tomar o onibus estacionado em local diferente da agencia. Uau! Instalados em onibus de dois andares partimos as 21h e chegamos as 05h. E a chuva junto. Ai, ai, ai, ai. Aguardamos até as 07h para embarcar no grande catamara que vai nos levar a ilha. Cansados? Siiiiiiiiiiiiiiiiiimmmmm.


Chegamos em nossa pousada perto das 11h. Chuva se foi. Minha gente, só uma coisa a dizer: aqui é o paraíso. Se nao é … parece ser uma das suas melhores versoes!

A pousada fica numa das enseadas da ilha. Aquele mar verdinho. Encostas repletas de palmeiras. Muito verde e rochas compondo um cenário encantador.

Ficamos bem instalados em bangalos estrategicamente posicionados de frente para o mar. Todos os bangalos na encosta de uma pequena colina. Varanda com espreguiçadeira. Decerto para manter a preguiça com tratamento vip. Ficamos por lá conhecendo a pousada e as praias a disposiçao. Amanha – passeio.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.