No Presente

espelho espelho meu

O que é estar verdadeiramente no presente? Reflita sobre a mente-como-um-espelho nas palavras do prof. de dharma, Godwin Samararatne:

Um aspecto de uma mente-como-um-espelho é que ela sempre funciona no presente. Um espelho não pode refletir algo que acontecerá no futuro; não pode refletir algo que aconteceu no passado. E a questão que vem é: “É possível estar sempre no presente todos os dias?” Então, o que significa estar no presente? Precisamos clarear isso. Experimentar o momento presente é como observar uma vela em frente a você, agora, ouvir a tosse agora, estar desperto para a respiração e as sensações do corpo agora. Mas, no dia-a-dia, precisamos usar o passado e o futuro. Este é um desafio real que temos: como usar o passado e o futuro e, ainda assim, refleti-los como eles realmente são.

Se você deixar passar completamente o seu passado, você não poderá voltar para a sua casa: isso mostra que precisamos do passado. Se você não pensar sobre o futuro, se você não planejar, você não chegaria até aqui. Quando pensamos sobre o passado, estamos recordando, e quando estamos antecipando o futuro, nós o estamos fazendo agora. Devemos compreender que quando estamos pensando sobre o passado, e quando estamos pensando sobre o futuro, nós o estamos fazendo no momento presente. A única coisa que acontece é que damos para o passado uma realidade que ele não tem. Nós não compreendemos que não podemos mudá-lo e permitimos que o passado crie emoções negativas e sofrimento em nós. Isso é também como pode chegar a ansiedade a respeito do futuro. O futuro ainda não chegou, mas enquanto no presente, pensamos sobre como as coisas vão acontecer. De forma similar, da mente-como-um-espelho todo este pensamento sobre o futuro e sobre o presente está acontecendo agora“.

Nosso agradecimento à Renata Z. por atender ao convite para traduzir este trecho.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.