Pé na Estrada


Pátchima:

No caminho para o trekking paramos para visitar um orquidário e um borboletário! Que combinacao hein! Pois, uma beleza! Seguimos rumo a floresta. Tinhamos um guia chamado Si (provavelmente não é assim que se escreve). Uma figura. A caminhada teve de tudo: passamos por arrozal, pequenas dificuldades, margeamos córrego, almoçamos arroz sentados sobre folhas de bananeira, testes de equilibrio sobre pedras molhadas e o “gran finale” com uma subida morro acima que NINGUÉM avisou!!!!

Ainda bem que estávamos todos juntos. Não fosse isso…nao sei não….Tudo isso em meio a uma belissima floresta tropical. Mais mortos que vivos chegamos ao acampamento onde passamos a noite. Lugar muito bonito. Ficamos numa cabana enorme na encosta de um morro com uma vista linda das montanhas e pequeno povoado. Dormimos todos no mesmo espaço em colchonetes sobre esteirinhas, dispostos um ao lado do outro. Gente, um frio brabo na madruga! A cabana era toda aberta, só com o telhado sobre nossas cabeças. Agustinho, companheiro de jornada, definiu a experiencia: “Isso é Rambo puro!”.

Pela manha, passeio sobre os elefantes!!!!! Infelizmente não pude ir a este passeio. Elefantes sao animais muito lindos. Particularmente acho-os muito tristes, mas há todo tipo de opiniao sobre eles no grupo. Alguns acham fofos, outros acham que sao injustiçados, outros acham que sao vítimas do progresso e por ai vai. Contam os amigos que fizeram o passeio que é uma experiencia única. Para os que sentem náuseas com o balanço pra lá e pra cá da cadeirinha foi pra uma vez só. Para os demais foi excelente passeio.

Deixamos o acampamento e fomos em direçao as cachoeiras. O tempo aqui voa! Temos muitas aventuras para viver e o dia corre. Decidimos ir na cachoeira menor. Uma delicia a trilha. Banho na cachoeira! Ficamos apreciando a natureza que abriga a tudo e a todos por ali. A regiao é muito bonita com um rio para a prática do rafting e floresta belissima para a prática do arvorismo. Seguimos ate o ponto de embarque para a descida do rio em botes de rafting. Adrenalina e pura diversao! Quando terminaram as corredeiras (leves, claro!), descemos do botes e subimos em jangadas feitas de bambu. Mais diversao. Nao preciso dizer que entramos secos e saimos absolutamentes encharcados dos pés a cabeça.

O sol acompanhando a expediçao brasileira. E o guia Si sempre providenciando nossa refeiçao. Pensam que acabou? Seguimos para uma vista a um local onde se concentra o artesanato de sete tribos das mulheres girafas (aquelas com argolas nos pescoços). Estivemos com elas ao vivo e a cores! Impressionante!!!! E o trabalho que realizam é lindo demais.

Como não somos de ferro…para aliviar o cansaço desta aventura no mundo da floresta..seguimos para Chiangmai, pois a noite todos experimentamos 3 horas de SPA !!!!!! Olha, barbaridade de bom! Sauna de ervas, hidromassagem com água mineral, massagem esfoliante, massagem tailandesa e um outro tanto de coisa deliciosa nos foi oferecido. Nao sei exatamente dos outros mas posso dizer que quase desintegrei de tao relaxada que sai de lá. Penso que todos dormiram feito anjos. Amanha estaremos aprendendo culinária thai.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

3 Comments

  1. Só de imaginar a tal subida fiquei cansada rs. Que aventura! E pra fechar um SPA, hummm me pareceu perfeito! Bjs

  2. Sem palavras, dividimos todo o cansaço de vcs com vcs e a viagem esta ótima rsrs

    abçs

  3. Que delícia, ler cada texto seu, Pátchima querida!
    Bjsss
    ;0)))

Comments are closed.