Preceitos

O que são preceitos ou treinamentos? A palavra ‘preceitos’ foi uma palavra que se utilizou para traduzir a palavra oriental ‘sikkha’, mas que alguns ou muitos ocidentais acabaram impondo nela os seus próprios preconceitos judaico-cristãos, vendo-os como se fossem mandamentos. Isso entretanto nada tem a ver com o uso oriental da palavra. Seguindo a tradição Theravada, sempre utilizamos a palavra ‘treinamento’, pois é exatamente isso o que significa a palavra pali ‘sikkhapadam’. ‘Sikkha’ é treinamento e ‘pada’ é curso de ação. Ou seja, o ‘preceito’ é traduzido como tomar (samadiyami) o curso de treinamento. Dela vem ‘sekha’, aquele que está sob treinamento, e ‘asekha’, aquele que não mais necessita dele, um outro nome para o Arahant.

No Buddhismo Theravada se compreende que a vida humana é difícil de ser vivida e o existir encontra uma série de dificuldades. Colocar ações que deveriam ser evitadas como um mandamento poderia, para algumas pessoas, até impedi-las de se adentrar no caminho. Os treinamentos são exercícios em que o caminhante se dedica, tendo-os escolhido voluntariamente (é isso que a tomada dos cinco treinamentos – pancasikkha – significa). Não são mandamentos nem de um ser divino nem do Buddha, apesar de, é claro, trazerem conseqüências quando não seguidos.

Nossa mente é muito agitada, cheia de desejos, expectativas, aversões e percepções imprecisas a respeito da realidade. Tais coisas são como os animais selvagens e perturbações da natureza, os quais podem impedir a semente de fincar-se no solo. Sila-nuggahita é o cultivo de uma disciplina com relação ao comportamento verbal e corporal. Uma prática formal desse cultivo é a chamada “Tomada de Preceitos” ou “Tomada de Treinamentos”, cinco treinamentos que o treinante assume como forma de demonstrar para si mesmo seu compromisso com o caminho. Não são regras, mas treinamentos voluntários que podem assumir aqueles que se sintam preparados.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

One Comment

Comments are closed.