sempre divertido

Um sinal de que você está viajando e passando demais dentro de aviões: você começa a dormir melhor no avião do que na sua própria cama; passa a ser natural tomar café da manhã ou almoço a qualquer hora de seu relógio biológico (você já nem sabe o que é isso); quando um breve toque como um sino acontece você automaticamente já busca fechar o cinto de segurança; atrasos se tornam coisas comuns…

Guichê do aeroporto de Orly na França: “vôo para o Porto às 13h40, por favor”. “Cancelado”. “Como assim, cancelado?” “Cancelado”. “Hum…tem certeza, pode conferir? É o vôo 453 para o Porto”. (moça conferindo…) “Ah, esse vôo não está cancelado”. “Ufa. Ok”. “Venha daqui meia hora”. “Ok”. (meia hora depois, outra moça…) “Vôo 453 para o Porto, por favor”. “Esse vôo já partiu”. “Partiu?!@” “Sim”. “Mas como? O vôo está marcado para daqui duas horas!” (moça conferindo…) “Ah, ok, o vôo vai acontecer, sim”. “Hum…”

Lá dentro, depois do check-in, na tela: vôo 453 para o Porto: “Delayed”. Algum membro da companhia aérea para esclarecer quando o voo acontecerá, porque está atrasado ou mesmo se irá acontecer: 0 . Alguém do aeroporto presente para esclarecimentos: 0 . E tudo isso com aquela característica gentileza e disponibilidade em ajudar infelizmente tão frequente de se encontrar quando se visita a França…

Mas tudo está ótimo. Ao contrário de outros passageiros para Lisboa que tiveram seu voo cancelado e que esperavam há horas na sala de Orly, apenas 1 hora de atraso e eis-nos no céu, num dos menores aviões que já peguei, escapando das cinzas do Eyjafjallajokull.


Na França, 6 graus e chuva contínua. Mas o voo decolou tranquilamente, sanduiche de salmão defumado, e duas horas depois uma vista do Porto. Um Porto ensolarado e agradável:


Objetivo seguinte: chegar a Aveiro e depois a Praia da Barra, tirar essa foto do farol que ainda funciona, andar pelo agradável lugar, entre rias e mar, aproveitando o resto da tarde, tomar um galão com pão e jantar uma dose de perca com sopa de espinafre com amigos. E amanhã, se não chover, picnic na Cabreia. Muito fixe!

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

3 Comments

  1. Bela escapada do vulcão eijhtchhpthth rs e boa divulgação do dhamma por aí. Aliás portugal é adversário do brasil na copa e tem 3 brasileiros naturalisados no time deles. Imagina brasileiro contra brasileiro em um jogo de copa do mundo

  2. Experiência em aeroportos:
    Grande oportunidade de por em prática a Paramita da Paciência…
    Boa viagem!
    Abraço,

    Cris

  3. … ou como viver de um modo simples e tranquilo (e por isso sábio) o que muita gente está a viver na maior afobação…
    :0)))

Comments are closed.