Trabalhando com o Estresse II

A maioria do estresse é criada por pensamentos sobre o passado ou especialmente sobre o futuro.

Agora a segunda parte do ensinamento do prof. de dharma Godwin Samararatne, traduzido pela equipe de tradução do Centro Buddhista Nalanda:

Outra ferramenta consiste em tentar ser consciente da respiração. Como nós descobrimos, por vezes nossos pensamentos, por vezes a maneira como nos relacionamos com as sensações e assim por diante, podem realmente construir o estresse que está surgindo. E é interessante que a maioria do estresse é criada por pensamentos sobre o passado ou especialmente sobre o futuro, antecipando a ansiedade, fracassos e assim por diante. Então, se você verdadeiramente puder estar atento à realidade da respiração – porque ela está acontecendo neste exato momento, você perceberá que mesmo nos poucos minutos que você gasta prestando atenção na respiração, há uma recuperação completa de qualquer emoção que você tem tido.

Outro ponto é: qual é o oposto de se sentir estressado? Eu diria que é quando podemos realmente relaxar com o que está acontecendo; se realmente pudermos aprender a nos sentir à vontade com o que está acontecendo, isso é exatamente o oposto do estresse. Assim, isso mostra que o homem moderno, a menos que seja um praticante, não descobriu a maneira de apenas relaxar consigo mesmo. Então, como podemos aprender a relaxar? Aqui, novamente, uma maneira é que se você realmente pode se conectar com a sua respiração e, como eu por vezes gosto de dizer, se você tomar sua respiração como um amigo, então tão logo você se torna consciente da respiração, apenas relaxe com a respiração, e o estresse e a tensão podem simplesmente desaparecer.Outro instrumento seria observar como surge o estresse e como o processo, o mecanismo continua. O que normalmente acontece é que estaremos resistindo a alguma coisa, e isso pode realmente dar origem ao estresse. Então, se vocês puderem, realmente estejam com o estresse e digam para vocês mesmos, como eu sempre gosto de dizer, sinto-me desconfortável com o estresse, ou seja lá o que estou experimentando, mas não há problema em não se sentir bem. Se vocês puderem realmente fazer isso, então essa continuidade, esse círculo vicioso, uma condição dando origem a outra condição, poderá ser interrompida, e vocês simplesmente estarão com o que quer que esteja acontecendo”.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.