Trabalhar é praticar o dharma

No método de Buddhadasa, a prática do dharma transcendeu também para abranger o dia-a-dia. Para ele, praticar o dharma não significa sessões isoladas, solitárias, de olhos fechados na floresta ou em um quarto. Podemos trabalhar e ao mesmo tempo praticar o dharma. Suas palavras mais citadas são: “Trabalhar é praticar o dharma”. A maioria das pessoas pode buscar o sucesso e tentar terminar seu trabalho o mais rápido possível. O monge, porém, ensina as pessoas a trabalharem de forma atenta, a viverem no presente e não se apegarem aos resultados. Ele comparou kilesa (impurezas, como cobiça, raiva e ilusão) a um tigre. Trabalhar é como brincar com a criatura – quanto mais ele “brinca” conosco, mais aprendemos sobre seu poder e suas fraquezas, de forma que possamos mantê-lo sob controle. Se não trabalhamos com ele, nunca conheceremos o tigre e nem saberemos como controlá-lo e vencê-lo. – Phra Phaisan Visalo

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.

One Comment

Comments are closed.