Vida Religiosa

Em uma época onde tudo deve ser prático, rápido e útil, nunca é demais lembrar esse conselho de John A.Storey com relação ao objetivo de uma vida religiosa.

“Há muitas facetas na vida religiosa, e a vida religiosa completa é aquela que leva em conta todas elas. Há um perigo em superestimar um aspecto, embora sejamos todos sujeitos a fazê-los de tempos em tempos. Aqueles de nós que vivem no ocidente tendem a enfatizar que aquilo que desejamos acreditar são os aspectos práticos da religião. A religião é vista como sendo de pouco valor, a menos que ‘faça’ alguma coisa. Não devemos ignorar este aspecto. Os ditames da compaixão não podem ser ignorados. Mas há um perigo de que, em meio a toda essa atividade superorganizada e agitada, acabemos por perder de vista a coisa mais fundamental de todas: o desenvolvimento, cultivo e perfeição de si mesmo. Isso não é um objetivo egoísta, pois somente à medida que nos tornamos mestres de nós mesmos é que podemos verdadeiramente nos tornar servos dos outros. A coisa mais importante em toda a vida religiosa então – no sentido de ser aquilo que primeiro devemos fazer – é obter a completa maestria de si, purificarmo-nos, desenvolver a mente e elevar nosso nível de consciência”.

dhanapala

Este é o blog pessoal de Ricardo Sasaki (Dhanapala), psicoterapeuta, palestrante e professor autorizado na tradição buddhista theravada e mahayana, tradutor, autor e editor de vários livros, com um grande interesse na promoção e desenvolvimento de meios hábeis que colaborem na diminuição real do sofrimento dos seres, principalmente aqueles inspirados nos ensinamentos do Buddha. Dirige o Centro de Estudos Buddhistas Nalanda e escreve no blog Folhas no Caminho. É também um dos professores do Numi - Núcleo de Mindfulness para o qual escreve regularmente. Para perguntas sobre o buddhismo, estudos em grupo e sugestões para esta coluna, pode ser contactado aqui.